• Joana Wheeler

Habilitação de Herdeiros: como é feito e para que serve

Habilitação de Herdeiros é essencial para evitar disputas sobre como dividir os bens após o falecimento de um familiar. Conheça os passos envolvidos, o propósito e os custos associados.


Quando uma pessoa morre e há bens a distribuir, um dos processos mais cruciais é o Habilitação de Herdeiros. É um processo muito fácil que permite identificar herdeiros e garante que os bens deixados para trás estão registados nos seus nomes.


É aconselhável mesmo que não seja necessário. Facilita a transferência de contas bancárias em que o falecido foi titular da conta principal, garantindo que as responsabilidades fiscais relativas aos bens herdados são satisfeitas e ajuda a prevenir futuros conflitos entre os herdeiros.


Esta é uma das tarefas assumidas pelo cônjuge ou filho mais velho e é conhecido como Cabeça de Casal. Este indivíduo fica encarregado da herança enquanto ainda é uma herança indivisa e não dividida entre os herdeiros. Consequentemente, terão de lidar com alguns problemas administrativos, como este processo.


Onde e quando obter o Habilitação de Herdeiros


A Habilitação de Herdeiros é uma declaração que identifica os herdeiros e estabelece que nenhuma outra pessoa é elegível para receber a herança. Na sua versão mais complexa, permite que cada herdeiro continue a deter bens registados em seu nome.


O processo pode ser feito no escritório das Finanças e em Notários, pode encontrar o seu mais próximo aqui.


É compreensível que queira adiar a resolução deste tipo de problemas enquanto estiver de luto, no entanto a Habilitação de Herdeiros deve ser registada até ao final do terceiro mês seguinte à morte. Se não cumprir dentro deste prazo, pode incorrer em coimas, para além de potenciais desafios, como não conseguir aceder a contas bancárias.


Fazer um agendamento e saber para onde precisa ir é importante. No entanto, o que é crucial é compreender o tipo de Habilitação de Herdeiros que necessita e o que é exigido em cada situação.


Tipos de Habilitação de Herdeiros


Existem 3 tipos de Certificados de Herança:

  1. Habilitação de herdeiros simples;

  2. Habilitação com registo de ativos sucessórios;

  3. Habilitação com registo de ativos sucessórios e partilha de ativos;

Explicamos aquilo em que cada um consiste:


1. Habilitação simples de herança


A chamada Habilitação de Herdeiros simples atesta que os indivíduos especificados são herdeiros do falecido e que nenhuma outra pessoa tem ou é elegível para reclamar uma herança.

Há outros custos além do preço base de 150€. Por exemplo, os documentos dos herdeiros marido e mulher devem ser verificados por mais 50€, e as verificações da base de dados variam entre os 10€ e os 20€.


O testamento ou a escritura da dádiva por morte, se houver, devem ser indicados para além de todos os documentos de identificação do responsável e da certidão de óbito.


2. Habilitação com registo de ativos sucessórios


Este processo é mais difícil. Os bens que compõem a herança indivisa são mostrados juntamente com os nomes dos herdeiros.


Antes de agendar a certidão de herança neste caso, os serviços (finanças ou notários) analisam o pedido e documentação compulsiva e confirmam uma série de detalhes, incluindo a morte do falecido, a identidade dos seus herdeiros, a propriedade do imóvel e a forma como os imóveis estão registados no Portal das Finanças.


Em seguida, especificarão os documentos necessários e definirão uma data e hora para os herdeiros serem registados. Isto deve acontecer dentro de 7 a 10 dias úteis, mas dependendo da complicação do procedimento, pode demorar mais tempo.


O preço é mais elevado porque este é um processo mais moroso. O valor mínimo é de 375€, acrescido das taxas de registo dos produtos (apenas o primeiro item de cada categoria está incluído no custo) e a verificação de informações adicionais.


Quanto custa o registo de ativos?


O valor de 375€ inclui o registo de imóveis, veículos ou participações. No entanto, terá de pagar, por cada bem, além do primeiro:

  • 30€ por propriedade, quota ou participação;

  • 20€ por cada bem móvel;

  • 15€ se for ciclomotor ou motociclo, triciclo ou quadriciclo com um cilindro não superior a 50 cm3.

O limite é de 30.000€.


3. Habilitação com registo de ativos sucessórios e partilha de ativos;


A herança é dividida nesta opção, juntamente com a identificação dos herdeiros e o registo adequado dos bens. Dito de outra forma, os ativos são divididos de modo a que cada herdeiro receba a parte a que tem direito legal.


Se existirem ativos ou participações na herança que estejam sujeitas a registo, só então poderá ser registada a Habilitação de Herdeiros e a partilha.


Neste caso, a identificação dos bens e direitos do falecido, bem como as suas avaliações, é importante para além dos documentos de identificação dos herdeiros e do cabeça de casal.


O preço inicial é de 425€. Depois, há taxas adicionais para registos e pesquisas de bases de dados, tais como registos de casamentos ou de nascimento, imóveis, carros ou registos de negócios.


A existência de um testamento substitui a Habilitação de Herdeiros?


A Habilitação de Herdeiros ainda é exigida independentemente da presença de um testamento. O desejo de que as suas posses sejam dispersas de uma certa forma é expresso num testamento. No entanto, os parentes mais próximos devem sempre obter uma parte da herança (a chamada quota legítima), numa ordem específica.


Todavia, a Habilitação de Herdeiros só pode ser emitida se os herdeiros concordarem com a sua condição (ou seja, que nenhuma outra pessoa é elegível para herdar) e, no caso da qualificação com partilha, se concordarem com a forma como a divisão dos ativos deve ser realizada.


Qual é a diferença entre a vontade pública e um testamento fechado?


Quando um testamento é escrito pelo notário no seu livro de registos, torna-se público. Um testamento fechado é aquele que foi escrito pelo falecido ou alguém a seu pedido (como um solicitador).


No entanto, o Código Civil determina que um encerramento requer a aprovação de um notário, e a data dessa aprovação serve como data efetiva do testamento.


Um testamento fechado pode ser mantido pelo criador, dado a outra pessoa, ou entregue a um escritório do notário público. No prazo de três dias após ter conhecimento da morte, quem estiver na posse do documento deve apresentá-lo ao notário.

12 visualizações0 comentário